segunda-feira, 26 de novembro de 2012

UFBA e UESB 2013 - Questões de Sociologia selecionadas pelo professor Roberto José da Silva


          

 O Professor Roberto José  da Silva mestre em Sociologia preparou uma seleção de  questões para deixar vocês prontos para a UFBA e UESB 2013. 


Aqui está a primeira seleção. Em breve novas postagens. Dediquem-se! 


1)    “Poder-se-ia [...] acrescentar à aquisição do estado civil a liberdade moral, única a tornar o homem verdadeiramente senhor de si mesmo, porque o impulso do puro apetite é escravidão, e a obediência à lei que se estatui a si mesma é liberdade”. (ROUSSEAU, Jean-Jacques.  Do contrato social. Trad. de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Nova Cultural, 1987. p. 37.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a liberdade em Rousseau, é correto afirmar:

a)  As leis condizentes com a liberdade moral dos homens devem atender aos seus apetites.
b)  A liberdade adquire sentido para os homens na medida em que eles podem desobedecer às leis.
c) O homem livre obedece a princípios, independentemente de eles também valerem para a
sociedade.
d)  O homem afirma sua liberdade quando obedece a uma lei que prescreve para si mesmo.
e)  É no estado de natureza que o homem pode atingir sua verdadeira liberdade.

2) “- Mas a cidade pareceu-nos justa, quando existiam dentro dela três espécies de naturezas, que executavam cada uma a tarefa que lhe era própria; e, por sua vez, temperante, corajosa e sábia, devido a outras disposições e qualidades dessas mesmas espécies.
- É verdade.
- Logo, meu amigo, entenderemos que o indivíduo, que tiver na sua alma estas mesmas espécies, merece bem, devido a essas mesmas qualidades, ser tratado pelos mesmos nomes que a cidade”. (PLATÃO.  A república. Trad. de Maria Helena da Rocha Pereira. 7 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1993. p. 190.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre a justiça, é correto afirmar:
a)  As pessoas justas agem movidas por interesses ou por benefícios pessoais, havendo a possibilidade de ficarem invisíveis aos olhos dos outros.
b)  A justiça consiste em dar a cada indivíduo aquilo que lhe é de direito, conforme o princípio universal de igualdade entre todos os seres humanos, homens e mulheres.
c)  A verdadeira justiça corresponde ao poder do mais forte, o qual, quando ocupa cargos políticos, faz as leis de acordo com os seus interesses e pune a quem lhe desobedece.
d) A justiça deve ser vista como uma virtude que tem sua origem na alma, isto é, deve habitar o interior do homem, sendo independente das circunstâncias externas.
e)  Ser justo equivale a pagar dívidas contraídas e restituir aos demais aquilo que se tomou emprestado, atitudes que garantem uma velhice feliz.

3) Letra c) “Se todos os homens são, como se tem dito, livres, iguais e independentes por natureza, ninguém pode ser retirado deste estado e se sujeitar ao poder político de outro sem o seu próprio consentimento. A única maneira pela qual alguém se despoja de sua liberdade natural e se coloca dentro das limitações da sociedade civil é através do acordo com outros homens para se associarem e se unirem em uma comunidade para uma vida confortável, segura e pacífica uns com  os outros, desfrutando com segurança de suas propriedades e melhor protegidos contra aqueles que não são daquela comunidade”.
(LOCKE, John.  Segundo tratado sobre o governo civil. Trad. de Magda Lopes e Marisa Lobo da Costa. Petrópolis: Vozes, 1994. p.139.)
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o contrato social em Locke, considere as afirmativas a seguir.
I.  O direito à liberdade e à propriedade são dependentes da instituição do poder político.
II.  O poder político tem limites, sendo legítima a resistência aos atos do governo se estes violarem as condições do pacto político.
III.  Todos os homens nascem sob um governo e, por isso, devem a ele submeter-se ilimitadamente.
IV. Se o homem é naturalmente livre, a sua subordinação a qualquer poder dependerá sempre
de seu consentimento.
Estão corretas apenas as afirmativas:
4) LETRA B “Hobbes realiza o esforço supremo de atribuir ao contrato uma soberania absoluta e indivisível [...]. Ensina que, por um único e mesmo ato, os homens naturais constituem-se em sociedade política e submetem-se a um senhor, a um soberano. Não firmam contrato com esse senhor, mas entre  si. É  entre  si que renunciam, em proveito desse senhor, a todo o direito e toda liberdade nocivos à paz”.
(CHEVALLIER, Jean-Jacques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos dias. Trad. de Lydia Cristina. 7. ed. Rio de Janeiro: Agir, 1995. p. 73.) 
Com base no texto e nos conhecimentos sobre o contrato político em Hobbes, considere as afirmativas a seguir.
I.  A renúncia ao direito sobre todas as coisas deve ser recíproca entre os indivíduos.
II.  A renúncia aos direitos, que caracteriza o contrato político, significa a renúncia de todos os direitos em favor do soberano.
III.  Os procedimentos necessários à preservação da paz e da segurança competem aos súditos cidadãos.
IV.  O contrato que funda o poder político visa pôr fim ao estado de guerra que caracteriza o estado de natureza.
Estão corretas apenas as afirmativas:

5)     “O verdadeiro fundador da sociedade civil foi o primeiro que, tendo cercado um terreno, lembrou-se de dizer isto é meu e encontrou pessoas suficientemente simples para acreditá-lo. Quantos crimes, guerras, assassínios, misérias e horrores não pouparia ao gênero humano aquele que, arrancando as estacas ou enchendo o fosso, tivesse gritado a seus semelhantes: ‘Defendei-vos de ouvir esse impostor; estareis perdidos se esquecerdes que os frutos são de todos e que a terra não pertence a ninguém!’”.
(ROUSSEAU, Jean-Jacques.  Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens. Trad. de Lourdes Santos Machado. São Paulo: Nova Cultural, 1997. p. 87.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o pensamento político de Rousseau, é correto afirmar:

a)  A desigualdade é um fato natural, autorizada pela lei natural, independentemente das condições sociais decorrentes da evolução histórica da humanidade.
b)  A finalidade da instituição da sociedade e do governo é a preservação da individualidade e das diferenças sociais.
c)  A sociabilidade tira o homem do estado de natureza onde vive em guerra constante com os outros homens.
d)  Rousseau faz uma crítica ao processo de socialização, por ter corrompido o homem, tornando-o egoísta e mesquinho para com os seus semelhantes.
e)  Rousseau valoriza a fundação da sociedade civil, que tem como objetivo principal a garantia da posse privada da terra.

6) LETRA D Emile Durkheim observa que uma condição fundamental para que a sociedade possa existir é a presença de um consenso social. Pois sem consenso não há cooperação entre os indivíduos e, portanto, não há vida social. Este consenso é garantido pelo meio moral que compartilhamos, o qual, por sua vez, é produzido pela cooperação entre os indivíduos através de um processo de interação que Durkheim chamou de divisão do trabalho social. Desse modo, conforme o tipo de divisão do trabalho social que predomina na vida coletiva numa determinada época, tem-se um tipo diferente de solidariedade entre os indivíduos. Durkheim destaca dois tipos de solidariedade: a mecânica e a orgânica. No Brasil, por exemplo, nota-se a influência das idéias  positivistas em boa parte de sua legislação.
 (Adaptado de: RODRIGUES, Alberto T. Sociologia da Educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p.27-28.)
Considere as afirmativas a seguir, que apresentam artigos e parágrafos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT- Edição de 1988) e da Constituição de 1988.
I.  “[São condições para o funcionamento do Sindicato:] a proibição de qualquer propaganda de doutrinas incompatíveis com as instituições e os interesses da Nação [...]”.
II.  “[São prerrogativas dos Sindicatos:] colaborar com o Estado, como órgãos técnicos e consultivos, no estudo e solução dos problemas que se relacionam com a respectiva categoria ou profissão liberal”.
III.  “[Dos direitos e deveres individuais e coletivos:] a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento”.
IV.  “[Da Organização Sindical:] A solidariedade de interesses econômicos dos que empreendem atividades idênticas, similares ou conexas constitui o vínculo social básico que se denomina aqui categoria econômica”.

7)  A desigualdade social e a concentração fundiária têm marcado a sociedade brasileira e  tem sua origem desde o processo de colonização portuguesa que  instaurou o regime de sesmarias que, era o regime de posse da terra vigente em Portugal e que foi transplantado para  o  Brasil.  Nesse  regime  o  agricultor  tinha  o  direito  de  posse  e  o  rei  (ou  o  Estado) mantinha o domínio das  terras. No entanto, no período de colonização apenas os brancos, “puros  de  sangue”  e  católicos  tinham  o  direito  à  posse  da  terra,  enquanto  que  escravos, índios,  judeus, mouros, etc. não  tinham o mesmo direito. Assim, os senhores de engenho, que  eram  “puros”  obtinham  uma  grande  área  para  plantar  cana-de-açúcar,  enquanto  a maioria da população não tinha o direito da posse pela terra, pois eram escravos e índios.
  O modelo colonial no Brasil se  constituiu  por  meio  de  três  componentes fundamentais  na  organização  social,  quais  sejam:  a  grande  propriedade  fundiária,  a monocultura de exportação e o trabalho escravo. Nesse contexto, é importante destacar  que  a  forma  familiar  de  produção agropecuária sempre esteve presente desde o processo de ocupação do Brasil, no entanto, a  produção  familiar  existia  de  uma  forma  subordinada  à  grande  propriedade,  produzindo principalmente produtos alimentícios, como cereais para a subsistência e para o consumo de pequenos mercados locais, pois, as grandes lavouras, na época, só produziam cana-de-açúcar para ser escoado para Portugal.
Apesar  das  derrotas  políticas  os  movimentos  sociais  de  luta  pela  terra, principalmente  o  MST,  com  o  apoio  da  CPT,  seguiram  crescendo  e  se  expandido  pelo território  nacional  aumentando  o  número  de  integrantes  e  simpatizantes  que,  por conseqüência  amplia  o  poder  de  pressão,  principalmente,  por  meio  de  ocupações  e realização  de  acampamentos  em  grandes  fazendas  improdutivas  ou  com  títulos  de propriedade  contestados.  Assim,  em  meados  da  década  de  1990  o  MST  atinge  uma repercussão  nacional  com  ocupações  de  várias  fazendas,  principalmente  no  Pontal  do Paranapanema, passando assim a entrar na mídia e ganhar boa parte da opinião pública a seu favor.
Dessa  maneira,  devido  à  pressão  dos  movimentos  sociais  de  luta  pela  terra, principalmente a partir de meados da década de 1990, o governo federal, com a presidência de  Fernando  Henrique  Cardoso,  começa  a  acelerar  os  processos  de  desapropriação  de terras e a  intensificar a  implantação de assentamentos rurais.
A reforma agrária hoje  possui  uma  grande  importância,  principalmente  no  âmbito social. È unânime entre os estudiosos favoráveis à reforma agrária a sua importância social, como uma política de distribuição de renda e de  inclusão social,  “desafogando” pequenos arrendatários, parceiros, meeiros, e minifundiários e proporcionando a oportunidade de uma grande  parte  de  pessoas  que  estão  nas  periferias  das  grandes  cidades  e  excluídos  do mercado  de  trabalho  e  que  foram  expulsas  do  espaço  rural  nas  décadas  de  1960/1970 migrando  para  as  cidades,  em  decorrência  da  cruel  modernização  conservadora  e  da industrialização do país, voltarem para o campo, agora com as condições para produzir de maneira viável, resgatando assim sua dignidade.
Questão agrária brasileira: origem, necessidade e perspectivas de
reforma hoje. Wagner Miralha
REVISTA NERA – ANO 9, N. 8 – JANEIRO/JUNHO DE 2006 – ISSN 1806-6755


No Brasil, ao refletir sobre a Estrutura Agrária e os Movimentos Sociais no Campo, é correto afirmar que
I.             o aumento no volume da produção agrícola não eleva automaticamente os níveis de renda e emprego de parcela da população mais pobre que vive nas áreas rurais, ocasionando, pelo menos desde os anos de 1960, um deslocamento dessa população para as áreas urbanas.
II.           o desenvolvimento capitalista da agricultura se baseou na produção intensiva, que optou por maior uso de adubos, inseticidas, máquinas e trabalho assalariado.
III.          a luta pela democratização do acesso à terra teve como principais defensores, nos anos de 1945 a 1964, as Ligas Camponesas e, na atualidade, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
IV.              a exploração capitalista das atividades agropecuárias intensificou a concentração fundiária, tornando a necessidade da reforma agrária um consenso na sociedade brasileira.
V     o avanço do capitalismo no campo garantiu aos assalariados rurais um lote mínimo para o plantio de subsistência, gerando um  significativo processo de democratização do acesso à terra.

Estão corretas apenas:
a)   I, II e III.
b)    II, III e IV.
c)    III, IV e V.
d)    IV e V.

8) O conceito de cidadania sempre esteve fortemente "ligado" à noção de direitos, especialmente os direitos políticos, que permitem ao indivíduo intervir na direção dos negócios públicos do Estado, participando de modo direto ou indireto na formação do governo e na sua administração, seja ao votar (direto), seja ao concorrer a um cargo público (indireto).[3] No entanto, dentro de uma democracia, a própria definição de Direito, pressupõe a contrapartida de deveres, uma vez que em uma coletividade os direitos de um indivíduo são garantidos a partir do cumprimento dos deveres dos demais componentes da sociedade
Os direitos políticos são regulados no Brasil pela Constituição Federal em seu artigo 4, que estabelece como princípio da participação na vida política nacional o sufrágio universal. Nos termos da norma constitucional, o alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para os maiores de dezoito anos, e facultativos para os analfabetos, os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos e os maiores de setenta anos.
A Constituição proíbe o alistamento eleitoral dos estrangeiros e dos brasileiros conscritos no serviço militar obrigatório, considera a nacionalidade brasileira como condição de elegibilidade e remete à legislação infra-constitucional a regulamentação de outros casos de inelegibilidade (lei complementar n. 64, de 18 de maio de 1990).

Sobre a cidadania no Brasil, assinale o que for correto.

I.                    Durante o governo de Getúlio Vargas, entre 1930 e 1945, pela primeira vez, os direitos sociais foram universalizados, chegando a amplas parcelas da sociedade brasileira. Esse processo foi acompanhado pelo fortalecimento e pela autonomia das organizações operárias. 
II.           Os Estatutos da Criança e do Idoso exemplificam as modificações recentes que a cidadania sofreu no contexto brasileiro, incorporando novas demandas ao seu conteúdo.
III.                A Constituição de 1988, apesar de ser denominada por muitos Constituição Cidadã, não produziu mudanças legais significativas em termos de extensão dos direitos de cidadania.
IV.         O Fórum Social Mundial  resultou da iniciativa de alguns brasileiros e é um movimento que se posiciona contra a atual ordem econômica globalizada, que tem restringido direitos sociais de cidadania até então assegurados por leis. 
V.                A extensão dos direitos de cidadania às classes populares esteve, historicamente, sob o controle estrito das elites, já que não houve movimentos sociais capazes de questionar essa situação. 

Estão corretas apenas:
A)   I, II e III.
B)     II, III e IV.
C)   III, IV e V.
D)   II e IV.
E)     II e III

9)
Considere a seguinte afirmação:
“A democracia no Brasil é algo muito recente e ainda está se consolidando. Ela continuará crescendo se as regras institucionais para as eleições e o exercício do poder forem ampliadas, para possibilitar a participação da população, e se os movimentos sociais tiverem mais liberdade para lutar pela manutenção dos direitos fundamentais e a criação de novos direitos. Somente quando a maioria da população tiver educação de qualidade, condições de se alimentar adequadamente e condições de vida social decente poderemos ter democracia no Brasil. Enquanto isso, temos uma democracia ‘capenga’”. (TOMAZI, Nelson.  Sociologia para o ensino médio. São Paulo: Atual, 2007, p. 124).
Sobre a análise exposta, assinale o que for correto. 
I.             Podemos deduzir do texto que, para o autor, a qualidade de um regime democrático pode variar no tempo e no espaço. Ele nos sugere que a presença e a estabilidade do sistema eleitoral são apenas indicadores mínimos para definir o grau de democracia que existe em uma determinada sociedade. 
II.                  Podemos concluir do texto que, em uma democracia, os partidos políticos não são tão importantes. Assim, a democracia brasileira seria melhor se as regras eleitorais reconhecessem os movimentos sociais como instituições de representação, e não os partidos políticos.
III.          Podemos concluir do texto que as deficiências da democracia brasileira têm relação com o fato de que tivemos, ao longo da história republicana, a vigência de longos períodos de regimes autoritários. 
IV.              De acordo com o texto, a consolidação da democracia brasileira não depende de mudanças na estrutura jurídica do Estado. 
V.           Para o autor, a qualidade de uma democracia pode ser medida observando-se os seguintes indicadores: as regras institucionais vigentes, as condições dadas para a construção de ações coletivas e a maneira como os recursos materiais estão distribuídos.


Estão corretas apenas:
A)   I, II e III.
B)     II, III e IV.
C)  I, III e V.
D)   II e IV.
E)     II e III


10) Leia o que escreve Antônio Bivar (O que é punk, Editora Brasiliense, 2001):

“Em 1976 o punk é mais uma revolução de estilo que político. Mais sentimento que consciência. Quando a imprensa começa a usar de retórica para explicar o punk, chamando o movimento de político, Johnny Rotten retruca: “A imprensa não sabe o que diz. Como é que posso ser político se nem sei o nome do primeiro ministro!”.”

Considerando o que a sociologia explica sobre artes e movimentos, mais o lido, está correto dizer que

a) o movimento punk integrou com outros movimentos culturais das décadas de 1960-1970, os quais tinham estilos totalmente diferentes entre si e com relação a este, o movimento mais amplo que foi a contracultura.

b) o movimento punk estava ligado apenas ao campo estético da manifestação.

c) a essência do movimento punk é o uso constante da indumentária em couro ou tecidos rústicos, uso da cor preta e cortes radicais de cabelos.

d) a arte punk na realidade é de matriz social conservadora, própria das classes menos abastadas da sociedade.

e) a imprensa da época, como a de agora, nada tinha a dizer de tais movimentos musicais e similares, pois estes são efêmeros, daí não serem possíveis de apreensão e análise.
 11)  “Na segunda metade do século XX, a tendência à superação das ideias racistas permitiu que diferentes povos e culturas fossem percebidos a partir de suas especificidades. Grupos de negros pressionaram pela adoção de medidas legais que garantissem a eles igualdade de condições e combatessem a segregação racial. Chegamos então ao ponto em que nos encontramos, tendo que tirar o atraso de décadas de descaso por assuntos referentes à África”.

Marina de Mello e Souza. A descoberta da África. RHBN, ano 4, n. 38, novembro de 2008, p. 72-75.

A partir deste texto e do conhecimento da sociologia a respeito da questão racial em nosso país, é possível afirmar que

a) autores como Gilberto Freyre, Florestan Fernandes, Fernando Henrique Cardoso, Darcy Ribeiro, entre outros tantos autores, são importantes por chamarem a atenção do país para o papel dos negros na construção do Brasil e da brasilidade, e as formas de exclusão explícitas e implícitas que sofreram.

b) apesar de relevante a luta contra o preconceito racial, o estudo da África só diria respeito ao conhecimento do passado, do período do Descobrimento do Brasil até a abolição da escravidão entre nós.

c) estudar a África só nos indicaria a captura e a escravidão de diferentes povos africanos, tendo em vista que raça e o racismo são categorias ideológicas as quais servem para encobrir as fortes tensões sociais existentes entre a imensa classe de pobres e o seu oposto a dos ricos.

d)a autora quer dizer que devemos hoje operar cada vez mais com categorias tais como a especificidade da raça negra, da raça branca, da raça amarela e outras mais.

e) nenhuma das alternativas está correta.


12) Leia com atenção a noticia jornalística e responda o que pede a questão.

Índios pataxós invadem cinco fazendas no sul da Bahia

O agente disse à Agência Brasil que índios da Aldeia Caramuru-Paraguaçu invadiram as fazendas antes de o dia amanhecer, segundo relatos de fazendeiros que procuraram a delegacia local para registrar as ocorrências e notificaram que mais de 30 pessoas estão reféns dos índios.
O policial informou que as invasões têm se tornado corriqueiras na disputa pela posse de 54 mil hectares de terras nos municípios de Pau Brasil, Camacan e Itaju da Colônia, e ele teme que haja "derramamento de sangue" na região enquanto não houver definição sobre a propriedade das terras. Até porque, segundo Bonfim, as polícias Civil e Militar do estado "pouco ou nada podem fazer", uma vez que as terras são consideradas como área de reserva federal e as forças auxiliares não têm acesso ao local, a não ser que a Polícia Federal (PF) solicite nosso apoio, acrescentou.
Sagro Bonfim disse que a unidade da PF mais próxima fica em Ilhéus, a mais de 150 quilômetros do local, e foi avisada do ocorrido no início desta manhã, mas adiantou que os federais só irão à reserva nesta segunda-feira, 16, ocasião em que as autoridades dos municípios afetados terão uma visão mais exata a respeito das invasões e de seus efeitos. Ele acrescentou que não há, por enquanto, nenhuma informação sobre a existência de feridos nas invasões deste domingo, mas revelou que o clima é de tensão na região, a ponto de os habitantes de Pau Brasil terem feito barricadas nos acessos à cidade para evitar a circulação dos índios, que reclamam a posse das terras há 28 anos. Uma Ação Cível Originária (ACO 312) protocolada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) no Supremo Tribunal Federal (STF) assegura que a área foi demarcada como reserva indígena em 1936, mas o governo estadual concedeu títulos de posse a fazendeiros da região em anos posteriores, gerando o conflito.
Em vista disso, a Funai ajuizou a ACO 312 para garantir aos Pataxós Hã Hã Hãe a posse e o usufruto da terra indígena Caramuru-Paraguaçu. A ação foi a plenário em 2008, quando o ex-ministro Eros Grau, então relator do processo, manifestou-se favorável à ação da Funai. O ministro Carlos Alberto Menezes Direito solicitou vista, mas morreu sem reencaminhar a matéria, e seu substituto, o ministro Dias Toffoli, declarou-se impedido por ter atuado no processo quando advogado-geral da União.
JORNAL  ESTADÃO
http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,indios-pataxos-invadem-cinco-fazendas-no-sul-da-bahia,861445,0.htm

Quanto aos índios brasileiros, a partir dos estudos sociológicos já feitos e existentes hoje, está correto dizer que

a) estão em via de extinção posto serem culturas primitivas e atrasadas com relação à sociedade brasileira, daí se inviabilizarem como grupo social .

b) não há mais índios no país, posto que só existiriam índios quando da descoberta do Brasil e no período Colonial, quando pelas guerras, doenças e outros fatores advindo do contato com os colonizadores,vieram a se extinguir.

c) apesar das desigualdades sociais imensas que sofreram e sofrem, marginalizando-os, eles continuam presentes marcando, atualmente, muito melhor suas identidades e pertencimentos culturais específicos, abrindo e conquistando espaços políticos dentro da sociedade brasileira.

d) não mais existem índios no Brasil, pois que todos eles já entraram na sociedade brasileira, adquirindo os bens e serviços desta, daí não haver mais nenhuma cultura indígena pura, verdadeira, a qual possamos nos referir como legitimamente indígena.

e) Nenhuma das alternativas está correta.

13)  O conceito de cidadania é considerado um dos mais importantes nas Ciências Sociais. Diz respeito à participação de um cidadão na comunidade, e no compartilhamento de valores comuns. Pode-se dizer que, nos últimos anos, a construção da cidadania diz respeito à própria construção da nacionalidade. Para que ela se realize plenamente, o cidadão pleno seria aquele titular de três direitos fundamentais: os direitos civis, os direitos políticos e os direitos sociais. Entre as questões abaixo, assinale a alternativa referente às características dos direitos civis.

a) Diz respeito à participação no governo da sociedade, de fazer demonstrações políticas. Através dele podemos discutir problemas do governo, de organizar partidos, de votar, de ser votado.

b) Diz respeito à vida em sociedade que garante a participação das pessoas no governo; garante a participação na distribuição das riqueza coletiva; incluem o direito à saúde, a um salário justo, aotrabalho, à aposentadoria, enfim, um mínimo bem-estar para todos.

c) Diz respeito aos direitos essenciais à vida, ao direito de propriedade e à igualdade perante a lei. Trata-se de um direito que se desdobra na garantia de ir e vir, de escolher o seu próprio trabalho, de liberdade de expressão, de não ser condenado sem processo legal regular, de garantias da liberdade individual.

d) Diz respeito aos elementos que garantem a existência de uma máquina burocrática administrativa do Poder Executivo. A ideia central desse direito é a justiça social.

e) Diz respeito à participação de poucos indivíduos no governo da sociedade. Está mais voltado para pessoas vinculadas a partidos políticos que elaboram projetos sociais.



 Os problemas referentes à questão agrária estão relacionados, essencialmente, à propriedade da terra, consequentemente à concentração da estrutura fundiária, aos processos de expropriação, expulsão e exclusão dos trabalhadores rurais: camponeses e assalariados; à luta pela terra, pela reforma agrária e pela resistência na terra; à violência extrema contra os trabalhadores, à produção, abastecimento e segurança alimentar; aos modelos de desenvolvimento da agropecuária e seus padrões tecnológicos, às políticas agrícolas e ao mercado, ao campo e à cidade, à qualidade de vida e dignidade humana. Por tudo isso, a questão agrária compreende as dimensões econômica, social e política. (FERNANDES, 2001, p. 23-24).

Com base na ilustração, no texto e nos conhecimentos sobre o espaço agrário, analise as questões abaixo:
I.              A desigual distribuição das terras, herança do modelo econômico que se implantou recentemente no país, trouxe como consequência os atuais conflitos sociais no campo e a fixação, cada vez maior, do homem nas áreas rurais em função da chegada da modernização agrícola.
II.            O movimento das “Ligas Camponesas”, originado no início do século passado, deve ser entendido como uma manifestação local dos produtores rurais do agreste pernambucano contra a alta dos impostos.
III.           A  luta por terra é uma importante dimensão da questão agrária e os movimentos sociais dela resultantes se configuram em ações dos trabalhadores, que envolvem processos de expropriação, expulsão e exclusão social.
IV.          A modernização da agricultura e da pecuária é bastante equilibrada nas diversas regiões do país, originando grande produtividade de alimentos com farta dieta alimentar da população.
V.           O modelo de reforma agrária vigente no país vem assegurando o acesso à terra, proporcionando recursos necessários para ela produzir e atingindo grande número de trabalhadores rurais.
VI.          O MST representa diferentes expressões de contestação, seja contra a desapropriação de terras pelo Estado, a exemplo da região de Itaipu, seja contra a permanência de latifúndios improdutivos, como áreas no interior do Norte e do Nordeste.

Está correto apenas o que se afirma em:

A)   I, II e III
B)   I, II e IV
C)   III e VI
D)   IV, V e VI
E)   Todas estão corretas.

UFBA reabre inscrições - Sua chance!


A partir desta terça-feira, dia 27, os interessados em inscrever-se para o processo seletivo de ingresso aos cursos de graduação da Universidade Federal da Bahia, terão nova oportunidade, pois a universidade reabriu as inscrições para o Vestibular 2013, em Salvador, Vitória da Conquista e Barreiras, nas modalidades de Curso de Progressão Linear (CPL), Bacharelado Interdisciplinar (BI) e Curso Superior em Tecnologia (CST). A reabertura, cujo prazo estende-se até o próximo dia 5 de dezembro, deu-se, “devido à necessidade da UFBA em se adaptar integralmente à Lei nº 12.711, de 29/08/12 e Decreto nº 7.824, de 11/10/12 que instituiu as cotas”, informou o pró-reitor de graduação, Ricardo Miranda.
Para atender à nova legislação, houve modificação na distribuição das vagas, readaptando critérios como o percentual reservado às cotas, que antes era de 45% e agora passa para 50% do total de vagas oferecido em todos os cursos. Além disso, acrescenta o pró-reitor, poderão concorrer às cotas todos os estudantes que cursaram o ensino médio em escola pública, abolindo a exigência de mais um ano do ensino fundamental em instituição pública.
Ele também destaca que a destinação das vagas, segundo à identificação étnica, estará em conformidade com a distribuição étnica estabelecida no censo populacional do Estado da Bahia e não à população da cidade de Salvador. Um novo viés que passará a ser considerado para a inserção nas cotas será a renda familiar do estudante que deve ser inferior ou igual a um salário mínimo e meio, afirmou Miranda.
Neste novo período, o candidato já inscrito poderá fazer automaticamente, sem ônus, as alterações referentes à participação no sistema de cotas, modificado pela nova legislação. Apesar das mudanças, novas inscrições poderão ser feitas observando as mesmas condições estabelecidas pelo Edital de Inscrição de 05/09/12. O prazo para pagamento da taxa vai até o dia 06 de dezembro de 2012. Mais informações podem ser obtidas noedital publicado hoje.
https://www.ufba.br/noticias/ufba-reabre-inscri%C3%A7%C3%B5es-para-o-vestibular-2013

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

FACEBOOK , para não nos esquecermos - Fotografias que marcaram a história

Segundo  Silvio Tender no seu documentário Utopia e Barbárie  defende que  a memória não deve ser apagada e as imagens não devem ser  apenas imagens. elas precisam ter história sentido. Então, mais do que o vestibular  esse post é para a vida de vocês, para a construção de saberes e sentidos de que sonhamos utopias, e muitas vezes produzimos barbáries. 

O Nosso  desafio é que hoje você troque sua imagem no Face  e coloque uma dessas fotos para que todos possam refletir e lembrar, ou, escolha uma e traga a memória. 


 A menina Afegã
Sharbat Gula foi fotografada quando tinha 12 anos pelo fotógrafo Steve McCurry, em junho de 1984. Foi no acampamento de refugiados Nasir Bagh do Paquistão durante a guerra contra a invasão soviética. Sua foto foi publicada na capa da National Geographic em junho de 1985 e, devido a seu expressivo rosto de olhos verdes, a capa converteu-se numa das mais famosas da revista e do mundo. No entanto, naquele tempo ninguém sabia o nome da garota. O mesmo homem que a fotografou realizou uma busca à jovem que durou exatos 17 anos. Em janeiro de 2002, encontrou a menina, já uma mulher de 30 anos e pôde saber seu nome. Sharbat Gula vive numa aldeia remota do Afeganistão, é uma mulher tradicional pastún, casada e mãe de três filhos. Ela regressou ao Afeganistão em 1992.
 No dia 4 de setembro de 1957, Dorothy Counts tivera o seu primeiro dia de aula na Universidade de Harry Harding, na Carolina do Norte (EUA). Ela foi a primeira estudante negra admitida numa escola pública americana (de brancos), e assim sendo, tal ato de enorme coragem desafiara toda uma mentalidade mesquinha e atrasada, de muitos dos habitantes da Carolina do Norte.
Acompanhada de seu pai, Dorothy (aos 15 anos de idade) foi fotografada pela imprensa (foto de Douglas Martin) a testemunhar a violência que eclodiu naquele período. Embora a constituição garantisse direitos iguais, tal prática não era plenamente exercida na realidade. A esposa de John Z. Warlickthe (líder do “Conselho de cidadãos brancos”) instigou os garotos para manterem-na fora da escola e também pediu as moças para cuspirem nela. Todavia, com todas estas barreiras Dorothy se manteve firme e calma, caminhando sem reagir diante da multidão que a seguia. Muitos faziam gestos obscenos, enquanto outros atacavam pedras. 




Primeira foto endoscópica da história

A vietnamita Kim Phuc, 9 anos, corre em desespero para escapar do vilarejo de Trang Bang após ataque aéreo com napalm por forças do Vietnã do Sul. Na imagem, a garota sempre vai ter 9 anos e gritará “Muito quente! Muito quente” ao fugir correndo nua de um vilarejo vietnamita com partes do corpo cobertas por Napalm. Ela sempre será uma vítima sem nome. No entanto, Kim Phuc, a menina da foto, passou grande parte de sua vida tentando não se tornar vítima da imagem que a tornou famosa mundialmente, ainda que pouquíssimas pessoas soubessem quem realmente era ela.

Ganhadora do Prêmio Pulitzer em 1994 e publicada pelo The New York Times, a foto foi tirada em 1993 no Sudão, pelo fotógrafo sul-africano Kevin Carter(1960-1994). Esta descreve uma criança faminta sem forças para continuar rastejanado para um campo de alimento da ONU, a um quilômetro dali. O urubu espera a morte desta para então poder devorá-la. Carter disse que esperou em torno de vinte minutos para que o urubu fosse embora, mas isto não aconteceu. Então rapidamente tirou a foto e fez o urubu fugir dali, açoitando-o. Em seguida, saiu dali o mais rápido possível.


O fotógrafo criticou duramente sua postura por apenas fotografar, mas não ajudar, a pequena garota: “Um homem ajustando suas lentes para tirar o melhor enquadramento de sofrimento dela talvez tambem seja um predador, outro urubu na cena.”, teria dito. Um ano depois o fotógrafo, em profunda depressão, suicidou-se. O paradeiro da criança é desconhecido.



 Anne Frank , foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do holocausto, que morreu aos quinze anos de idade num campo de concentração. Ela se tornou mundialmente famosa com a publicação póstuma de seu diário, no qual escrevia as experiências do período em que sua família se escondeu da perseguição aos judeus dos Países Baixos. O conjunto de relatos, que recebeu o nome de Diário de Anne Frank, foi publicado pela primeira vez em 1947 e é considerado um dos livros mais importantes do século XX.




menino faminto e um missionário. O fotógrafo Mike Wells recusou-se a receber o prêmio de melhor foto de 1980.


Soldado fugindo para o lado ocidental em Berlin 

Terra fotografada pelo Apolo 8