segunda-feira, 9 de abril de 2012

Redação identidade - É bom ler Roberto da Mata


Como se constrói uma identidade social ? Como um povo se transforma em Brasil ? A pergunta, na sua discreta singeleza, permite descobrir algo muito importante. É que no meio de uma multidão de experiências dadas a todos os homens e sociedades, algumas necessárias à própria sobrevivência, como comer, dormir, morrer, reproduzir-se etc. , outras acidentais ou  superficiais: históricas, para ser mais preciso - o Brasil foi descoberto por portugueses e não  por chineses, a geografia do Brasil tem certas características como as montanhas na costa do Centro-Sul, sofremos pressão de certas potências europeias e não de outras, falamos português e não francês, a família real transferiu-se para o Brasil no início do século XIX etc. Cada sociedade (e  cada ser humano) apenas se utiliza de um número limitado de "coisas" (e de experiências) para construir-se como algo único, maravilhoso, divino e "legal" ...
                Sei, então, que sou brasileiro e não norte-americano, porque gosto de comer feijoada e   não hambúrguer; porque sou menos receptivo a coisas de outros países, sobretudo costumes e ideias; porque tenho um agudo sentido de ridículo para roupas, gestos e relações sociais; porque vivo no Rio de Janeiro e não em Nova York; porque falo português e não inglês; porque, ouvindo  música popular, sei distinguir imediatamente um frevo de um samba; porque futebol para mim é um jogo que se pratica com os pés e não com as mãos; porque vou à praia para ver e conversar com os amigos, ver as mulheres e tomar sol, jamais para praticar um esporte; porque sei que no carnaval trago à tona minhas fantasias sociais e sexuais; porque sei que não existe jamais um  "não" diante de situações formais e que todas admitem um "jeitinho" pela relação pessoal e pela amizade; porque entendo que ficar malandramente "em cima do muro"  é algo honesto,  necessário e prático no caso do meu sistema; porque acredito em santos católicos e também nos orixás africanos; porque sei que existe destino e, no entanto, tenho fé no estudo, na instrução e no  futuro do Brasil; porque sou leal a meus amigos e nada posso negar a minha família; porque, finalmente, sei que tenho relações pessoais que não me deixam caminhar sozinho neste mundo, como fazem os meus amigos americanos, que sempre se veem e existem como indivíduos!
                Pois bem: somando esses traços, forma-se uma sequência que permite dizer quem sou, em contraste com o que seria um americano, aqui definido pelas ausências ou negativas que a  mesma lista efetivamente comporta. A construção de uma identidade social, então, como a    construção de uma sociedade, é feita de afirmativas e de negativas diante de certas questões.
   Tome  uma lista de tudo o que você considera importante - leis, idéias relativas a família, casamento e sexualidade; dinheiro; poder político; religião e moralidade; artes; comida e prazer em geral - e com ela você poderá saber quem é quem. (DaMATTA, Roberto. 1986. O que faz o brasil, Brasil ?)

domingo, 8 de abril de 2012

Estudantes e o Câncer


    Segundo o IBGE, Nas duas últimas décadas, aumentou o risco de uma pessoa adquirir câncer. Pela primeira vez, o Instituto Nacional de Câncer identificou esta taxa de risco, que em 1979 era de 40 a cada 100 mil mulheres e de 60 a cada 100 mil homens, e em 1999 alcançou o patamar de 60 a cada 100 mil mulheres e 80 a cada 100 mil homens.  
    Diante desses números, O nosso blog  convida você para nesse dia entrar na luta contra esse grande mal. Sobretudo porque uma geração de médicos e profissionais de saúde está sendo construída esse ano. Vocês são essa geração. 



    Vamos começar lendo um pouco sobre o tema na pesquisa preparada pelo IBGE: 
    O que é cancer? 
    Câncer ou neoplasia é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças caracterizadas pelo crescimento descontrolado de células anormais. Elas invadem tecidos e órgãos, podendo espalhar-se para outras regiões docorpo (quando ocorrem as metástases).
    O comportamento das células cancerosas pode ser explicado por mutações genéticas ou secreção anormal de hormônios ou enzimas.
    Essas células tendem a ser muito agressivas, formando os tumores (ou acúmulo de células cancerosas) que podem ser benignos ou malignos.
    Geralmente, o câncer começa no órgão onde as células anormais iniciam o ataque. Se for diagnosticado, pode ser curado com cirurgia ou radioterapia. E quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maiores são as chances de cura.
    Retrato do Câncer no Brasil 
    Atualmente, o câncer é a segunda causa de morte por doença, no Brasil. Somente na Região Nordeste, ele representa a terceira causa de morte por doença. Nas demais regiões, segue-se às doenças cardiovasculares, como causa de morte, com incidência maior na Região Sul.
    Os motivos que levam ao grande número de casos são o aumento da expectativa de vida da população em geral, associada à maior exposição a fatores de risco. O tipo de câncer que mais cresce é o de pulmão, em conseqüência da propagação do hábito de fumar.
    Algumas causas do Câncer
    Hoje já se sabe que são raros os casos de câncer relacionados exclusivamente a fatores hereditários. No entanto, pode-se dizer que é forte a influência de fatores externos, como o meio ambiente ou hábitos e costumes presentes em nosso dia-a-dia. Essa pode ser uma boa notícia, pois assim fica mais fácil evitar esse problema. Sem causar grandes transtornos em nossa rotina ou deixar de lado aquilo que gostamos de fazer ou comer, é possível reduzir os riscos de adoecer.
    Uma dieta saudável 
    Hábitos Alimentares
    Muitos alimentos têm sido associados com o processo de desenvolvimento do câncer, principalmente câncer de mama, cólon (intestino grosso), reto, próstata, esôfago e estômago. Por que isso acontece? Se consumidos por um longo período de tempo, muitos alimentos contribuem para o surgimento de células cancerosas. Então, preste atenção nas dicas abaixo:
    Perigo! Alimentos que devem ser evitados ou ingeridos com moderação:
    • alimentos ricos em gorduras (como carnes vermelhas), frituras, molhos com maionese, leite integral e derivados (como manteiga), bacon, presunto etc.
    • alimentos que contêm níveis significativos de agentes cancerígenos: conservas em geral (picles, salsichas e alguns tipos de enlatados); defumados e churrascos; alimentos preservados em sal (como carne-de-sol, charque e peixes salgados).
    Aforma de preparar os alimentos também influencia no risco de câncer. Por isso, o se deve optar por métodos de cozimento que usem baixas temperaturas, como vapor, fervura, ensopado, guisado, cozido ou assado.
    Como o brasileiro se alimenta?
    No Brasil, os tipos de câncer relacionados aos hábitos alimentares estão entre as seis primeiras causas de mortalidade por câncer. Veja os principais problemas:
    • A ingestão de fibras é baixa no Brasil, daí a freqüência de câncer de cólon e reto.
    • O consumo de gorduras é elevado nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, locais com as maiores incidências de câncer de mama no país.
    • Entre os jovens é comum a preferência por hambúrguer, cachorro-quente e batata frita. Esses alimentos possuem a maioria dos fatores de risco alimentares e praticamente não apresentam nenhum fator protetor.
    • Os jovens brasileiros também não consomem, de forma satisfatória, alimentos ricos em fatores de proteção, tais como frutas, verduras, legumes e cereais.
    Frutas, verduras, legumes e cereais integrais são alimentos ricos em nutrientes (vitaminas, fibras e outros compostos) que auxiliam as defesas naturais do corpo a destruírem os fatores cancerígenos antes que eles prejudiquem as células, além de bloquearem ou reverterem os estágios iniciais do câncer.
    Sugestões para a feira...
    • cebola, brócolis, repolho e couve-flor;
    • legumes vermelhos ou amarelos: cenoura, abóbora, batata-baroa, batata-doce etc.;
    • folhas em geral, principalmente as de cor verde escura;
    • frutas como laranja, caju, acerola, mamão, entre outras;
    • alimentos tradicionalmente consumidos pelos brasileiros, como feijão e mi
    Primeiro, é bom deixar claro que os fatores ambientais são responsáveis por 80% a 90% dos casos de câncer. Só para dar alguns exemplos: o cigarro pode causar câncer de pulmão, a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele e alguns vírus podem causar leucemia. E ainda, alguns estudos revelaram que certos alimentos também são fatores de risco. Então, pensar nos alimentos que ingerimos diariamente é um passo importante para sairmos vitoriosos nessa luta.

    Leia mais em:
    http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/cancer
Veja o que fizemos no Facebook:



A fabricante americana da famosa boneca Barbie, Mattel, lançará no ano que vem uma boneca careca para apoiar as crianças que têm câncer e perderam o cabelo durante o tratamento, anunciou um porta-voz na última terça-feira (3).
A decisão de fabricar essa boneca, que a Mattel descreve como "uma amiga da Barbie", foi tomada depois que uma solicitação no Facebook conseguiu o apoio de cerca de 157.000 pessoas que pediram à fabricante de brinquedos considerar criar uma versão da Barbie para crianças doentes.
A boneca careca virá com uma coleção de perucas, chapéus, lenços e acessórios de cabeça e será distribuída no início de 2013.



Ver em tamanho maior


sexta-feira, 6 de abril de 2012

Por uma Leitura da Leitura - Reflexão do prof. Sérgio Rivero


Sabe aquele texto que diz o que você gostaria de ter dito como A pedra de Drummond? Esse é assim....




Por uma leitura da leitura



por Sérgio Cerviño Rivero, sexta, 6 de Abril de 2012 às 13:52 ·
Sérgio Cerviño Rivero

De volta do seminário Retratos da Leitura do Brasil, em Brasília, onde foi apresentada a terceira edição de uma pesquisa quantitativa sobre um tema sempre preocupante, volto estarrecido. Nem tanto pela pesquisa, que pouco se diferenciou das edições anteriores (2000 e 2007), mas preocupado, sim, com a limitação dos conceitos que hoje ainda permeia o que chamamos de ‘Leitura’.

Sou cria do hoje agonizante Programa Nacional de Incentivo à Leitura, o PROLER, que vai sumindo do mapa por falta de um QG (tal como funcionava a Casa da Leitura, entre 92 e 96) que o conecte de novo em rede, e que o faça resgatar seus tempos áureos de Política Pública nascida da sociedade civil. Pois bem, lá, há quase vinte anos atrás, imersos na ‘Leitura de Mundo de Paulo Freire’, espaço terno de acolhimento para todas as linguagens, o que nos bastou fazer era ampliar os conceitos de leitura e texto, trazer todas as linguagens para o exercício pleno da produção dos sentidos, destacando a literatura como trampolim para a reflexão, e contribuir na formaçao de mais e mais cidadãos. Era simples assim.

Hoje vejo que do muito que já se falou lá atrás, ainda falam de novo, e falam como se fosse novidade. Mas, se formar leitores é tarefa árdua, sempre vão merecer destaque − e é claro que o PROLER é a inspiração − todas as iniciativas em todos os espaços da sociedade, sem distinção. Vejo o Estado brasileiro com excelentes ações neste sentido, iniciando políticas que hão de se tornar mais densas se não forem atropeladas por novas gestões desconectadas do bem público; e vejo a sociedade civil prosseguindo em seu silencioso trabalho de formiguinha incansável.

Por isso me surpreendo quando no tal seminário, de dentro do próprio MinC, ouço dizerem que é uma bobagem a ‘desescolarização da leitura’. Eu poderia citar pelo menos uns dois programas, que me lembre sem nenhum esforço, capitaneados hoje pelo MinC, e que trabalham a leitura, não na escola, como a obviedade espera, mas na vida em sociedade.

Acho necessário explicar que este conceito da ‘desescolarização’, abertamente usado pelo PROLER que experimentei, não pretende tirar da escola sua responsabilidade, mas, por outro lado, urge, mais do que nunca, incluir a escola, leia-se a Educação, no campo maior que certamente a contém e não a rejeita: o da Cultura.

Se fazemos isso, fica claro que a responsabilidade pela leitura é de todos. Já na escola, sabemos, a leitura é sempre matéria-prima de todas as disciplinas que compõem as grades curriculares do ensino, em todos os níveis escolares, do fundamental ao superior. A leitura é muito claramente o lugar comum dos saberes.

A limitação de conceitos como texto e leitura, que ficam amarrados ao texto escrito, bem como ao letramento, como únicas referências possíveis, o que parece funcionar, unicamente, como uma espécie de tábua de salvação para alguns profissionais, é o que também acaba justificando que muitos leitores, entrevistados na referida pesquisa, digam ingenuamente que não leem mais, pois já saíram da escola.

Vejo também que toda a munição pesada que o Estado brasileiro dispara na direção da inclusão digital, lugar pleno das multimidiações, não surtirá nenhum efeito se permanecermos arcaicos em discursos que parecem existir para defender zonas de profundo conforto, ainda separando, teimosamente, aqueles que sempre merecem estar em constante diálogo. O mundo está aí todinho para ser lido, mas, em tempos de parecer o que não somos, vamos apenas carregando, muito prosas, em arrojadas mochilas, toda esta tecnologia fashion que o nosso tablet da hora ostenta. E é só.

Entre a ‘escolarização do pavor de ler’, e a banalização da leitura, por todos os cantos e recantos da sociedade, fico com a segunda opção.

Que a leitura se perca na cidade. Que assim, acertadamente errante, empoderada de todos os textos do mundo, seja em que linguagem forem eles concebidos, a leitura possa construir sua autonomia e maturidade. E que ela encontre, para recebê-la, também em constante renovação, uma escola mais integrada ao ato de ler o mundo. 

Redação nota dez : O desafio da Mulher no Século XXI por Rafael Andrade


Um dilema cor-de-rosa
Da Idade da pedra à Pós-modernidade muitas foram  as mudanças nas relações de gênero. Em pleno  século XXI, as mulheres mostram-se capazes de reinventar toda  uma estrutura sócio-política à seu favor, abrindo assim uma nova discussão à respeito do impacto de tal reviravolta.
O Palácio do Planalto e a Casa Rosada ganharam em 2011 mais um ponto em comum: ambas as sedes presidenciais são  regidas por mulheres, situação semelhante a de 40% dos lares brasileiros. A diversificação da mão-de-obra feminina levou-as a alcançar, pela primeira vez, a soberania universitária. Elas já são  60%  em instituições de ensino superior, ocupando, dessa forma, posições que outrora fora  reduto exclusivamente masculino.
Todavia a redefinição do papel das mulheres na  sociedade resultou em um dilema para elas: A presença no mercado de trabalho leva à ausência no lar. É biologicamente comprovado que os instintos  femininos tem afinidades  ao cuidado do lar e  da família. Mais do que isso: a mulher é essencial na arte de educar.
Dessa forma, observa-se que a inexistência de mães no trabalho educativo expõe os filhos a uma infância menos saudável e provoca deterioração dos valores tradicionais. Sem a vigilância maternal, os índices de  violência entre os jovens multiplicaram-se nos últimos  30 anos.
Fica claro que a mulher conseguiu, ao longo da história, construir uma nova imagem e  alcançar novos espaços, porém colocou-se no dilema família X trabalho. É preciso achar um meio termo para que ela exerça tanto o papel profissional quanto o pessoal familiar. Afinal, as fogueiras que elas enfrentaram não podem ser esquecidas.
Rafael Oliveira Andrade – Aluno do 3º ano do colégio Sistema

Adoro ter alunos assim!!!!!!

quinta-feira, 5 de abril de 2012

TEMA DE REDAÇÃO : SUSTENTABILIDADE


Essa  Carta ao leitor se transformaria num perfeito artigo de opinião ou até em argumentos plausíveis para uma dissertação. Aproveitem!!!!!!
Carta ao leitor

A ecologia entrou na moda. Sustentabilidade é palavra bonita, que agora integra belas frases de anúncios milionários de bancos, indústrias químicas, empresas de cigarros e de refrigerantes. Todo mundo se veste de verde, muitas vezes para não mudar nada. Verde agora é o uniforme dos devastadores. Prevendo a tendência, o nosso cartunista Santiago já produziu uma charge nos anos 1970 em que árvores são derrubadas e transformadas em papel para imprimir cartazes que convocam para a preservação ambiental.

Ironias à parte, enquanto o planeta agoniza, o comportamento sustentável, que realmente poderia mudar alguma coisa, continua coisa rara. Para o historiador e escritor uruguaio Eduardo Galeano, “a ecologia neutra, que mais se parece com jardinagem, torna-se cúmplice da injustiça de um mundo onde a comida sadia, a água limpa, o ar puro e o silêncio não são direitos de todos, mas sim privilégios dos poucos que podem pagar por eles”.

Para Galeano, o que realmente está acabando com o planeta é o nosso cinismo. Não estamos fazendo o que alardeamos. Continuamos consumindo desenfreadamente. Não há limites para o lucro e o acúmulo. Apesar de todos os dramáticos alertas, nada mudou substancialmente no comportamento da humanidade, que agora recicla parte do lixo, trata a ecologia como um tema importante, dorme de consciência tranquila, mas não cessa a devastação e não reduz o consumo.

Com sua edição sobre sustentabilidade, a Novolhar quer contribuir de modo significativo para o debate sobre um dos temas mais urgentes do século 21. A capa do artista gráfico Roberto Soares é representativa disso. O planeta, retratado como uma maçã, transforma-se numa espécie de fruto proibido simbólico, que vai sendo lentamente devorado, em trágica analogia com o fim do único paraíso que temos.


A UFBA vai usar o Enem na Primeira Fase do vestibular 2013


ABAIXO A RESOLUÇÃO PUBLICADA NO SITE DA UNIVERSIDADE.
RESOLUÇÃO nº 01/2012
Estabelece normas referentes aos  processos seletivos para ingresso nos  cursos de graduação, referentes ao ano  letivo de 2013.
O Conselho Acadêmico de Ensino da Universidade Federal da Bahia, no uso das
atribuições conferidas no Art. 21 do Estatuto da UFBA,
RESOLVE
Art. 1º Nos processos seletivos dos cursos de Graduação, para o ano letivo de 2013, o
candidato deverá inscrever-se em apenas uma das seguintes modalidades:
(a) Cursos de Progressão Linear;
(b) Bacharelados Interdisciplinares;
(c) Cursos Superiores de Tecnologia.
 
Art. 2º Os candidatos que optarem pelo item (a) do Art. 1º serão selecionados mediante  o Vestibular, de acordo com a Resolução 01/02 do antigo Conselho de Ensino, Pesquisa  e Extensão – CONSEPE, e com as normas constantes no Manual do Candidato.
§ 1º. Em substituição às provas da primeira fase, definida no Art. 1º da citada Resolução  01/02, serão utilizados os escores padronizados obtidos pelos candidatos nas provas  objetivas da edição de 2012 do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), mantendose inalterada a segunda fase do Vestibular.
§ 2º. As provas mencionadas no parágrafo anterior terão como peso: Linguagens e
Códigos – peso 4, Matemática – peso 2, Ciências Naturais – peso 3, Ciências Humanas  – peso 3.
Art. 3º Os candidatos que optarem pelos itens (b) e (c) do Art. 1º ou pelos cursos de
progressão linear oferecidos no campus de Barreiras serão selecionados exclusivamente
com base nos escores padronizados obtidos na edição de 2012 do Exame Nacional do
Ensino Médio (ENEM).  Parágrafo único - As provas constituintes desse processo seletivo terão os seguintes
pesos: Linguagens e Códigos – peso 2; Matemática – peso 2; Ciências Naturais – peso
2; Ciências Humanas – peso 3; Redação – peso 3.
Art. 4º O Manual do Candidato especificará os títulos dos Cursos de Progressão Linear,
dos Bacharelados Interdisciplinares e dos Cursos Superiores de Educação Tecnológica
que serão oferecidos, bem como os respectivos números de vagas.
Art. 5º Serão oferecidas, aos egressos dos Bacharelados Interdisciplinares, vagas de
acesso aos Cursos de Progressão Linear para atender ao disposto no artigo 6º da
Resolução 02/2008 do antigo CONSEPE.
Parágrafo único - Os candidatos às vagas mencionadas no caput deste artigo deverão
se inscrever em processo seletivo próprio, cujos critérios são aqueles estabelecidos pela
Resolução 06/2011 deste Conselho.
Art. 6º Esta Resolução vigorará a partir da data de sua publicação, revogadas as
disposições em contrário.

Palácio da Reitoria, 29 de março de 2012.
Profª. Maria das Graças Reis Martins
Presidente do Conselho Acadêmico de Ensino



Exposição de Animais no Museu de História Natural de Londres

Que tal passear pela Exposição "Animal Inside Out" localizada no Museu de História Natural de Londres?
 Os animais foram preservados por meio da plastinação, nesse processo os tecidos de água são extraídos das células antes de serem substituídos por polímeros. 
A exposição ficará aberta ao público até o dia 16 de setembro e mostrará o corpo de mais de 100 animais.
Não  pode ir a Londres? Rs... Aprecie as fotografias em Alta Definição.  
http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/album/1204_exposicaoanimais_album.jhtm#fotoNav=11

Fórum Mundial da Água - Tema de Redação

O presidente do comitê do Fórum Mundial da Água, o brasileiro Benedito Braga, no discurso de abertura do evento em Marselha, nesta segunda-feira (12)
Um Brasileiro Importante!!!!!
A água é  uma das vedetes como tema de redação. É bom ficarmos ligados então em tudo que se discute a respeito dela. Não percam as notícias sobre o Fórum que começa no dia 12. Uma prévia da participação do Brasil vocês podem ver aqui: 


"Nesta segunda (12), começa o Fórum Mundial da Água, na França, com o objetivo de estabelecer metas reais sobre a gestão e uso da água. O presidente do Comitê Internacional do Fórum, o brasileiro Benedito Braga, acredita que o saneamento básico é ao mesmo tempo um dos maiores problemas da água hoje no mundo e também uma grandesolução.
Segundo Braga, que também é vice-Presidente do Conselho Mundial da Água, 2,5 bilhões de pessoas no mundo, ou quase 30%, não têm acesso à saneamento básico, o que aumenta o número de doenças e mortes. Além disso, o saneamento melhora a qualidade das águas dos rios e exige obras de infraestrutura que contratam mão de obra não qualificada, contribuindo para a erradicação da pobreza e do desenvolvimento sustentável.
“Fala-se muito de florestas, biodiversidade, clima, mas as pessoas esquecem que os rios urbanos no país inteiro são esgotos a céu aberto. Se você vai a Manaus, no meio da Amazônia, os rios são imundos como em São Paulo. Os igarapés são tão sujos quanto o Tamanduateí. Esse é um grande problema que precisamos atacar e ao atacar esse problema com saneamento nós vamos pensar em um crescimento verde”, disse Braga em entrevista exclusiva para o UOL.
Fala-se muito de florestas, biodiversidade, clima, mas as pessoas esquecem que os rios urbanos no país inteiro são esgotos a céu aberto
Benedito Braga, presidente do Cômite Internacional do Fórum Mundial da Água
Mais de 180 países se reúnem, entre órgãos nacionais, locais, setor privado e sociedade civil, em Marselha, na França, de 12 a 17 de março. Veja abaixo a entrevista completa com Braga.
UOL - Qual o principal problema da água hoje?
Braga - Existem problemas de escassez, causada pelo clima, e falta de acesso, que é complicado em função da necessidade de investimento. Mas há ainda um terceiro que é o problema da qualidade da água. Não é só a quantidade e o acesso, mas o não tratamento dos esgotos, principalmente domésticos, traz consequências desagradáveis para a população. Temos a maioria de nossos rios comprometidos. 2,5 bilhões de pessoas no mundo não têm acesso a saneamento e 900 milhões não tem acesso à água potável. O problema do saneamento traz complicações de saúde pública, a mortalidade infantil é principalmente causada por doenças de veiculação hídrica, como a diarreia, que mata algo como 30 milhões de crianças ao ano. Posso dizer ainda que R$ 1 aplicado em saneamento significa a economia de investimento em saúde pública de R$ 7 até R$ 15.
UOL - O Brasil tem cerca de 12% da água doce superficial do planeta e também  possui grande parte da maior bacia hidrográfica do mundo, a Amazônica. Mas temos um grave problema de saneamento básico no país, não é?
Braga - No Brasil, nós temos um nível de coleta de 60% da população, mas desses só uma proporção muito pequena é tratada antes de cair nos rios, na ordem de 20% a 30%. Então temos uma ordem de 10 a 15% do total que é tratado. Então, este é um tema que vamos discutir no Fórum. Para servir a população com água potável, ela precisa ser tratada, e se a qualidade do rio é ruim, cada vez você tem que investir mais para deixá-la em nível adequado para beber. É o cachorro correndo atrás do rabo: não trata o esgoto, mas tem que tratar a água para beber.
Já temos problemas de abastecimento aqui por causa disso?
As regiões metropolitanas correm risco, sem dúvida. Na região metropolitana de São Paulo, os mananciais de água com qualidade adequada para ser tratada para servir a população estão cada vez mais distantes. Você já não tem mais na região próxima. Isso significa que essas obras de grandes dimensões que precisam ser feitas, de grandes investimentos, demoram tempo para serem construídas e serem colocadas em operação. Se São Paulo não começar a construir hoje, daqui a 10 anos vai faltar água. Mas, não há nenhuma obra sendo construída. Na Amazônia temos 70% da água do país, onde há 7% da população. No Nordeste temos 30% da população e somente 3% da água. Então o problema é no gerenciamento da água, é você trabalhar tanto na construção da infraestrutura, nas obras hidráulicas e ao mesmo tempo trabalhar no uso eficiente da água. Não só no uso doméstico, na torneira, mas na produção de alimentos.
O principal consumo de água no Brasil hoje é a agricultura, certo? Há como reduzir este uso? 
70% da água do mundo é usada para produzir alimentos pela irrigação, e o Brasil não é exceção à regra. E você tem q economizar água na área agrícola. Há desperdício, mas os mecanismos econômicos são os mais eficientes. O Brasil possui o mecanismo de cobrança pela água para incentivar o uso eficiente. Este mecanismo deve ser usado para dar para as pessoas a noção de que a água é um recurso escasso, que é um recurso econômico, é o ouro azul. Se a população cresce, se a demanda por alimentos cresce, nós vamos usar cada vez mais a água e nós precisamos estabelecer critérios para o uso e ver se ele está sendo eficiente, cobrar por ele e as pessoas vão ser parcimoniosas e vão cuidar da água. Esse é um ponto muito importante que muitas vezes passa despercebido.
Ao longo do século 20 ouvimos muito que a terceira guerra mundial seria por causa da água. Como é a questão das disputas internacionais pela água?
Se você não tiver uma boa gestão da água nos rios que cortam 2 ou mais países, se você não tiver um bom sistema de comunicação entre esses países, existe o risco de conflito. Entretanto a história nos mostra que não há registro de conflito pela água. Hoje, existe muito mais cooperação dos dados, de quanto choveu, por exemplo. Em uma época se falou de hidro-pirataria, mas isso é uma grande bobagem. O gasto para transportar essa água não seria viável. A água mineral é exportada, mas encher um navio água doce é inviável. A água é um assunto local, de cada país ou região, quando a bacia é compartilhada."

FERIADO DE PÁSCOA : opções para os vestibulandos




Feriado chegando e quem faz vestibular tem muita dificuldade em se divertir. Seja pelo sentimento de culpa que nos ocupa, ou mesmo pelas condições financeiras. Mas o que nos esquecemos é que um simples passeio pela cidade para ver o pôr-do-sol, ou olhar  a lua por alguns minutos num lugar inusitado onde estamos faz toda diferença. Que tal visitar a nossa avô para ouvir histórias da família ou sobre nós mesmos quando éramos crianças?


Marina Sands Bay Night





Como diz Gregório: Aproveite o tempo antes que esse roube do seu corpo a força e do seu semblante a graça. 

Hotel Hilton Auckland
Outra  forma bem interessante é passear na internet por mares nunca antes navegados. Experimente entrar num museu ou ver hotéis com piscinas maravilhosas. ou as fotos dos lugares mais bonitos do munto.  Saia no Facebook  e deixe essas redes sociais. experimente passear um pouco para além dos muros dos caminhos que você sempre anda.....

Atlantis Coral TowerExperimente também ler um pouco sobre a sua profissão, visitar site da cidade que você deseja morar, ou trabalhar....sonhe...a Páscoa é o feriado em que rememoramos a morte de Cristo e Ele existe para garantir milagres. 

Redação ENEM - Em tempos de Solução


 Desde a ideia do Enem de criar solução para problemas oferecidos na redação e, mais que isso : essa ser uma nota importante relacionada a competência V que os rumos do ensino da produção de texto  passaram a ser mais reflexivos. É verdade: Alcançar o ensino superior no Brasil é pertencer a menos de 10% da população. Veja o Enem: 6 milhões de pessoas não chegam a representar nem  5% da população brasileira.Quem chega a esse patamar no Brasil ocupa um espaço importante e precisa sim saber respostas para grandes questões.
Por muito tempo era inteligente quem sabia criticar. Hoje o mundo busca soluções para questões como água, aquecimento global, fome e uma série de outros. Comece a procurar soluções. Não precisa inventar, mas é interessante começar a ler  a respeito.
Comece por esse menino que encontrou na pizza uma solução para a crise econômica europeia. 


Menino de 11 anos desenha "solução" para crise financeira e ganha prêmio

Do UOL, em São Paulo
Comentários84
  • Jurre Hermans mostra desenho premiado
    Jurre Hermans mostra desenho premiado
O menino holandês de 11 anos de idade Jurre Hermans ganhou uma menção especial no prêmio de economia Wolfson Economics, segundo o jornal britânico “Telegraph”. O prêmio buscava uma solução para os problemas na zona do euro.
O projeto de Hermans dizia que os gregos deveriam trocar os euros que possuem nos bancos por dracmas, a moeda usada na Grécia antes de 2001. Os euros com o governo poderiam ser usados para pagar as dívidas e os dracmas seriam dados para a população.
“Os bancos dão todos os euros para o governo grego. Todos os euros juntos formam uma panqueca ou uma pizza. Então o governo grego pode voltar a pagar todas as suas dívidas, e todo mundo que tem uma parte da dívida ganharia um pedaço da pizza”, diz o projeto de Hermans.
O holandês foi um dos 452 candidatos ao prêmio e seu projeto não foi um dos cinco vencedores, mas ele ganhou uma menção honrosa do júri. O prêmio distribuirá 250 mil euros entre os vencedores.

VEJA MAIS  em: http://www.uol.com.br/

TEMA DE REDAÇÃO COM BASE NO FILME RIO DE CARLOS SALDANHA


Com base nas reflexões sobre identidade e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em norma padrão da língua portuguesa sobre o tema "O Brasil aprendeu a voar como Blu ou apenas se transformou em Zé Carioca?" E, respondendo a essa pergunta, proponha o que deve ser feito para produzir a imagem do Brasil que queremos, apresentando proposta de conscientização social que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

Instruções:
·         O rascunho da redação deve ser feito no espaço apropriado.
·         O texto definitivo deve ser escrito à tinta, na folha própria e  em até 30 linhas.
·         A redação em até 7 (sete) linhas escritas será considerada  “ insuficiente” e receberá nota zero.
·         A redação que fugir ao tema ou que não atender ao tipo dissertativo-argumentativo receberá nota zero.
·         A redação que apresentar cópia da Proposta de Redação terá o número de linhas copiadas desconsiderado para efeito de correção.

CINEMA PARA VESTIBULANDO: FILME RIO


Orientação para estudos do Filme Rio 


O Tema Identidade Nacional é uma  das vedetes para o ENEM 2012. Que tal aproveitar o feriado para treinar um pouco sua redação? 
Vamos explicar passo a passo o caminho que você deve seguir para produzir um bom texto.
Outra Dica: Aproveite bem o tempo do feriado para não acumular atividades. Lembre-se: entramos no ritmo de sete meses para alcançarmos uma grande vitória. Quem vem conosco sabe que cada segundo faz toda a diferença. Por isso decidimos assistir a um filme que vai contribuir para nosso lazer, mas também nossos estudos.
1. Assista ao filme Rio pensando nas seguintes reflexões:
- O Brasil foi pintado como uma terra fértil e de gente bonita pelo estrangeiro Caminha quando veio aqui por ocasião do descobrimento. Muitos anos depois alguma coisa mudou?
- O Brasil tem dimensões continentais e uma riqueza de gentes muito diferenciada. Será que podemos ser APENAS o povo traçado no filme?
- A identidade de uma nação é apenas a que as pessoas dão a ela ou ela deve construir a sua?
Não Assista Sozinho:. Faça um cinema na sua casa, com pipocas, parentes, amigos..... Depois de assistir e rir muito debata com alguém sobre aquele Brasil, mas também fizemos o desafio de fazermos uma lista de coisas que precisamos mostrar ao mundo que somos como o Brasil do Samba, mas também da Bossa Nova, o País do Carnaval, mas também a maior nação católica do mundo, a terra do Futebol, mas também do vôlei e da Formula 1, a  terra da mulata, mas representada por Gisele – Loura por sinal.
4. Depois dessas discussões faça uma pesquisa sobre a personagem Zé Carioca de Walt Disney, (há alguns vídeos no You Tube sobre ele) e depois escreva a proposta de redação que disponibilizamos aqui pra você. 
5. Veja os slides e as reflexões do professor Joab e do professor Roberto na aula do Sêneca aqui no nosso blog. 
6. Se tiver dificuldade em escrever respire fundo. Sente-se à mesa da cozinha e não no seu quarto, peça a algum familiar seu pra ler e escreva. Apenas escreva, não preocupado  com regras. Não tenha vergonha de se inspirar em algum texto e reproduzir muito parecido. Com o tempo a gente supera o que copiou e produz nossos próprios textos. Na verdade somos assim. A gente imita depois aprende.
Um abraço Cordial

                             Mara  Rute  Lima